Informações Úteis

       

Criámos esta página com o intuito de informar mais em pormenor dúvidas que muitas vezes se colocam sobre os nossos amigos.

Sabia que:
Temperatura rectal: 38-39ºC
Frequência respiratória: 10 a 40 movimentos por minuto
Cios: Regra geral 2 vezes ao ano com uma duração média de 12 a 20 dias
Período favorável à cobrição: Entre o 9º e o 13º dia do cio regra geral
Duração da gestação: entre 57 e 63 dias

A escolha da raça: Tenha em atenção este item pois um cão tem como esperança média de vida cerca de 12 anos e por isso este amigo vai acompanhá-lo durante muito tempo. Para além disso, tenha sempre em atenção o tamanho e o tipo de cão que pretende adquirir e se o mesmo se vai adaptar ao seu estilo de vida e inclusivamente ao sítio onde mora. Muito importante na escolha do cão é o sítio onde o vai adquirir. Opte por visitar sempre dois ou três criadores e, tenha em atenção o sítio onde eles estão, se os progenitores estão presentes, se existem documentos dos pais e nesse caso faça todo o tipo de perguntas que achar pertinente.

Educação: Este é o factor determinante para ter amanhã um amigo leal. Nunca se esqueça que é nesta fase da vida que o cachorro vai adquirir 4 factores fundamentais na sua futura vida: auto-controle, comunicação, hierarquização e discernimento. Deve pois desde tenra idade começar por socializar o cachorro com o meio ambiente, outros animais e pessoas.

Saúde e Higiene: Este é sem dúvida um ponto importante do seu amigo de quatro patas. Um dos primeiros passos a tomar é a escolha de um médico veterinário. È através desse profissional que deve manter um controle sobre as vacinas que o cão deverá ter sempre em dia. Nos cachorros de raça grande é fundamental ter atenção ao factor crescimento. Patologias como a Displasia da Anca não são meramente genéticas estando hoje em dia provados que a alimentação e o espaço físico onde o cachorro cresce serem factores de extrema importância. Também importante deve ser uma escovagem semanal dos cães assim como uma limpeza regular das orelhas e olhos. Ter sempre em atenção que o cão deve ser desparasitado regularmente.

Doenças Infecciosas

A Esgana: Muito contagiosa, esta doença contagia animais de todas as idades provocando febre, alterações respiratórias como rinites ou broncopneumonias, alterações digestivas, cutâneas e nervosas sendo o seu desfecho muitas vezes mortal.

A Hepatite: O vírus da hepatite provoca febre e uma forte insuficiência hepática.

A Parvovirose: Extremamente contagiosa esta doença é responsável por gastrenterites hemorrágicas severas. È responsável por um elevado número de mortes em cachorros.

A Leptospirose: As Leptospiras são bactérias transmitidas pela urina dos roedores. Podem contaminar os animais e o Homem provocando no caso do cão uma alteração hepática e renal muitas vezes fatal.

A Raiva: Transmite-se através de mordeduras. É transmissível ao Homem e muitas vezes mortal. É em Portugal obrigatória a vacinação nos canídeos.

A Tosse de Canil: Na origem desta doença estão uma série de agentes (bactérias e vírus) que provocam uma forte tosse seca mais ou menos grave e que por norma atinge os cães que estão em contacto com outros nomeadamente canis e exposições. Existe hoje em dia vacina para a mesma.

A Piroplasmose ou Babesiose: Esta doença é provocada por um parasita sanguíneo, o piroplasma, que se transmite por carraças. A sintomatologia mais comum é fadiga, febres altas e urina escura. Provocando em muitos casos uma alteração renal e hepática pode ser mortal em poucos dias quando não tratada. A prevenção é o melhor remédio nestes casos com o uso de anti parasitários externos que se encontram a venda em qualquer pet shop ou veterinário.

A doença de Lyme: Transmitida pela carraça afecta também o Homem. Não é muito comum em Portugal. A sua sintomatologia é febre, perda de apetite e descoordenação motora. Este quadro pode no entanto evoluir para alterações articulares, cardíacas ou nervosas.

A Herpesvirose: Provocada por um herpesvírus assume uma sintomatologia muito variada que afecta sobretudo cadelas gestantes. Os sintomas atingem normalmente os recém nascidos podendo leva-los a morte por volta das 48 a 96 horas de vida, demonstrando sintomas de inapetência e desinteresse pela alimentação.

A síndrome da dilatação ou torção de estômago: Mortal quando não detectada num curto espaço de tempo. Os sintomas mais comuns são náuseas, vómitos e hiper-salivação, seguidas de dilatação da parte anterior do abdómen, dificuldades respiratórias com posterior estado de choque evoluindo para coma e morte. Obriga a uma intervenção cirúrgica num prazo até 2 ou 3 horas. Pode ser evitado com algumas medidas preventivas tais como divisão das refeições em 2 ou 3 vezes ao dia com menos quantidade, a não ingestão de grandes quantidades de água após exercício físico e a manter o cão num sítio sem grande agitação. Por norma esta patologia está mais afecta a cães de raças grandes.

A Displasia da Anca: A displasia da anca é uma doença que resulta da lassidão excessiva da cabeça do fémur na cavidade articular da anca. Na articulação de uma anca normal há um contacto estreito entre as superfícies articulares do cótilo (cavidade articular da bacia) e a cabeça do fémur (bem esférica). Na displasia existe uma lassidão anormal da articulação, com um desenvolvimento anormal do cótilo e da cabeça femoral. A displasia da anca consiste no desenvolvimento anormal da articulação da anca. Os animais com displasia da anca (DA) podem apresentar subluxação (separação completa ou parcial) ou luxação (separação completa) da cabeça do fémur do acetábulo. Surge com frequência em animais jovens, devido, sobretudo, à lassidão do ligamento redondo, que liga a cabeça do fémur ao acetábulo.

Classificação dos graus de Displasia da Anca(DA)

• Estado A – Nenhum sinal de displasia
• Estado B – Estado intermediário: má coaptação entre a cabeça femoral e o acetábulo; ângulo de Norbert Olson >105º
• Estado C – Displasia ligeira: má coaptação com ângulo de Norbert Olson> 100º
• Estado D – Displasia média: má coaptação com sinal de artrose
• Estado E – Displasia grave: luxação ou sub-luxação da cabeça femoral com artrose


Legenda

1. Fémur

2. Músculos

3. Bacia

4. Acetábulo (cavidade que recebe a Cabeça do Fémur)

5. Cabeça do Fémur

6. Vértebras Coccígeas (Base da Cauda)


Estas são algumas informações que consideramos úteis para quem tem ou deseja ter um cão. Obviamente todos os assuntos aqui focados são-no de uma maneira superficial e informativa. Aconselhamos a que em caso de dúvida contacte sempre com o médico veterinário assistente do seu amigo cão.



© 2016 Canil Casa das Thuyas. All Rights Reserved | Design by SitesFixes